arte na periferia: II CONVOCATÓRIA DE CASTING CONTOS DE BAIRRO

25 de setembro de 2008

II CONVOCATÓRIA DE CASTING CONTOS DE BAIRRO

Três curtas-metragens baseados em contos de escritores da periferia de São Paulo.

Contos de Bairro – o projeto

O Coletivo Arte na Periferia, com o apoio do VAI (Valorização de Iniciativas Culturais), edital público da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo, da HL Produções e da Revista de Cinema, convoca atores e atrizes residentes na cidade de São Paulo para o segundo casting do projeto Contos de Bairro. Um casting já foi realizado, porém nem todos os atores e atrizes foram selecionado(a)s para os papéis remanescentes.

Contos de Bairro será uma obra digital composta por três curtas-metragens de ficção, baseada em contos de escritores da periferia de São Paulo. As histórias escolhidas para o projeto são Gente Feia, de Huguera; Amanhã Talvez, de Sérgio Vaz; e Meu catecumemato na ludocópula e o sonho de titia, de Tico.

Cada um dos curtas será adaptado e dirigido por cineastas diferentes. Contos de Bairro pretende constituir uma coletânea da produção audiovisual na periferia e gerar oportunidade de analisar o olhar de uma nova geração que vem produzindo audiovisual em São Paulo.

Pré-seleção de atores

Currículos, fotos e links para vídeos devem ser enviados para o e-mail contosdebairro@yahoo.com.br até às 12 horas (meio-dia) do dia 28 setembro (domingo),
A/C da PRODUÇÃO. O título do e-mail deve ter o seguinte conteúdo:

Casting/ Nome do Curta/ Nome do Personagem

Caso um ator ou atriz queira participar do casting para mais de um personagem, por favor, envie o mesmo material em E-MAILS SEPARADOS pois os diretores se orientarão pelos títulos das mensagens na caixa de entrada.

Casting

Os atores selecionados serão comunicados via e-mail até dia 30 de setembro e receberão, neste mesmo dia, o roteiro do(s) curta(s) com as cenas para serem preparadas para o teste de VT. A data e local do casting será divulgada posteriormente, mas adiantamos que os testes acontecerão em até 20 dias a partir da data de divulgação desta convocatória.

Cachês

Por se tratar de um projeto de baixíssimo orçamento, resultado também da parceria entre o Coletivo Arte na Periferia e empresas apoiadoras, o projeto Contos de Bairro pagará aos atores uma ajuda de custo simbólica. Todos os profissionais do projeto receberão ajudas de custo semelhantes.
Atores principais = R$ 200,00 / Atores Coadjuvantes = R$ 80,00

Datas

A gravação dos curtas acontecerá entre os meses de novembro e dezembro, sempre aos finais de semana.

Os curtas-metragens

Gente Feia

Baseado no conto “Gente Feia”, escrito por Huguêra
Roteiro e Direção: Peu Pereira

Sinopse:

Um gay que é craque de bola, um líder de comunidade envolvido com o movimento hip-hop, uma drag-queen que esqueceu suas raízes, um nordestino que nem sabe quem é, um chefão do crime organizado acima de qualquer suspeita. Personagens da periferia de São Paulo, que para muitos são apenas Gente Feia, botam à prova a máxima filosófica de que "o inferno são os outros".

Perfil dos personagens:

Gilson – personagem principal
Mulato, estatura mediana. Já foi moleque de rua e michê. Agora, aos 30 anos trabalha num restaurante. Sempre discreto, ninguém sabe que ele é gay. Na quebrada, embora todo mundo saiba da sua preferência sexual, é respeitado pelo seu passado de moleque de rua. Usa baby looks, calça jeans e tênis all star. Básico e sossegado.

Diego – personagem principal
Negro, forte. Tem mais ou menos 25 anos. Ligado ao movimento hip-hop e aos movimentos sociais. É um líder na quebrada. Conhecido de deus-e-o-mundo, se veste como um cara do rap. Calça larga, camiseta dos artistas e heróis negros, como Zumbi, boné e tênis.

Gilson Criança - coadjuvante
Menino moreninho, frágil. Pequeno, mas não magrelo. Tem entre 10 e 12 anos.

Marivaldo- coadjuvante
Braco, baixinho, troncudo. Típico nordestino tem 25 anos. É um cara bruto/rústico criado na lei do "quem pode mais, chora menos", junto com os caras da quebrada. Mas em casa, o código do "macho" nordestino é o que manda. Por isso, ele não consegue aceitar o próprio homossexualismo.

Scarlet Montserrat- coadjuvante
É a drag-queen mais famosa da cidade. Tem entre 35 anos e 38 anos, veste-se como a Marilin Monroe, mas é morena. Nome de baptismo é Josafá Augusto Ferreira de Jesus. Quando pobre, fazia michê, como o Gilson. Nessa época, voltavam pra casa mais ou menos no mesmo horário e pegavam o ônibus no mesmo terminal.

Nikimba - coadjuvante
Tem entre 28 e 30 anos, negro, magro e mal encarado. É o dono da boca, então, já viu de tudo! Só que sempre foi muito respeitado na quebrada. A mãe morreu cedo e o moleque foi criado, junto com uma irmã, pela avó. Depois que a avó morreu, a irmã se mandou, com um ladrão da quebrada, e o moleque virou bicho solto.

A mãe do Gilson - coadjuvante
A típica, tiazinha crente de periferia, tem por volta de 50 anos, mas aparenta muito mais. Cabelão, preso, em coque. Usa sempre saia de corte reto até a canela e blusa bem fechada. Já foi do mundo, largadona na vida, mas agora, tenta fugir do capeta que mora dentro dela, falando da vida dos outros.

Seu Damião - coadjuvante
Senhorzinho, pretinho e simpático, tem os seus 70, mas aparenta uns 50 anos. Roupeiro do time. Pai de todos. Acolhe todo mundo e respeita todos, nas suas diferenças. Gosta pra caramba do Gilson, porque ele é um menino que sofreu pra caralho na vida e é um cracão de bola.

Amanhã Talvez

Baseado no conto “Amanhã Talvez”, escrito por Sérgio Vaz
Roteiro e Direção: Rogério Pixote

Sinopse:

Asdrúbal e sua vida, cotidiano. Bebida, controle remoto, controle remoto, bebida, boteco. Às vezes a mulher, às vezes os filhos, às vezes. Controle remoto, bebida, TV, a Morte. A Morte e a vida de Asdrúbal.

Perfil do personagem:

Morte – personagem principal
Estatura mediana, ligeiramente gordo e com seus trinta anos. Um comportamento que beira a boemia e o deboche. Durante sua vida terrena ganhava a vida fazendo jogo do bicho e vendendo churrasquinho numa praça, foi preso por não pagar pensão alimentícia a um filho que nem sequer conheceu. Na cadeia ficou conhecido por um grupo de samba com grande prestígio. Morreu pedindo clemência entalado com um osso de frango numa farofa. No purgatório, utilizou sagazmente sua lábia doce e convenceu as autoridades celestiais que poderia dar jeito em muito maluco, ao contrário dos outros funcionários que sempre pousavam de angelicais. Foi assim que conseguiu o ofício de dar jeito na vida de quem não sabe viver, serviço com resultados nem sempre satisfatórios.

O Sonho de Titia

Baseado no conto “Meu catecumemato na ludocópula e o sonho de titia”, escrito por Tico
Roteiro e Direção: Bel Mercês e Paula Szutan

Sinopse

Depois de uma noite de rebeldia, amor e divagações literárias, Keyla decide que vai pedir a mão do namorado em casamento. Mas no mesmo dia, acontece um acidente inesperado com a tia dele.

Perfil dos Personagens

Keyla – personagem principal
Jovem universitária paulistana, que aparenta ter entre 20 e 22 anos. Mais pra menina do que pra mulher. Apaixonada por literatura, fala o que pensa e a primeira vista demonstra rebeldia, apesar de ter um lado conservador. É a primeira vez na vida que está apaixonada.

Titia – coadjuvante
Senhora bem idosa e doente com dificuldades de locomoção. Se locomove com a ajuda de uma cadeira de rodas. Apesar de ter aparência física frágil está absolutamente lúcida. De forte personalidade, criou seu sobrinho sozinha e o ama incondicionalmente. Sonha em vê-lo casado.





Nenhum comentário:

RECOMENDAR