arte na periferia: Binho em ação

2 de novembro de 2006

Binho em ação




Quando nasci, tinha seis anos.
no lugar em que nasci,
sonhava que era tudo nosso.
Tinha os campinhos e os terrenos baldios,
era o meu território.
Já foi interior,
hoje periferia com as casas cruas,
as vacas com as tetas gruas
não existem mais.
A cerca virou muro, óbvio.
A cidade cresce,
o muro cresce.
Vieram os prédios, as delegacias, os puteiros
e as Casas Bahia,
Também cresci,
fiquei grande.
Já não caibo dentro de mim
e, de tão solitário,
sou meu próprio vizinho.
E de tão solitário,
sou meu próprio vizinho.

Binho

Um comentário:

Rogério Pixote disse...

Muito boa essa fotografia. O dia está chegando.
Parabéns!

RECOMENDAR