arte na periferia: Poesia de Esquina

26 de maio de 2010

Poesia de Esquina

Ontem, depois de trabalhar o dia inteiro lá no anhembi, cheguei em casa quebradão. Mas acontece que na esquina da rua onde moro, rola o Poesia de Esquina. Fui só dar uma passadinha, mas acabei ficando lá, conversando com os caras e o tempo foi passando.
To escrevendo no corre aqui do trampo, só pra comentar que no final do sarau, rolou um improviso, com o Zinho, Gaspar, o Da Rosa e mais uma cambada de bons! E foi foda, foi bonito de mais, os caras homenagearam a tereza, "terezão é tesão" era uma das frases que rolava durante o improviso. O Alan fez um a cantoria bonita, uma melodia que dava saudade de ouvir, mas era tudo improviso, quem viu, viu, quem não viu não ve nunca mais, afinal era improviso...
Enquanto eles estavam rimando ao som do Dj Cula, a polícia colou, foi mó onda. O que fazer? desligar tudo? o Serginho ficou preocupado, é logico, mas os caras não queriam parar de rimar, como se a polícia ali fosse mais inspiração ainda pras rimas loucas que saiam daquelas bocas. 
E de repente, olhei pra trás, e os home tinham vazado, o sarau acabou lindo, com uma foto do time todo que tava no bar. 
Quando cheguei em casa, não conseguia dormir, pensando na boniteza que tinha sido o sarau e quis escrever, resultado, me fodi!!! Fui dormir as 3h da matina pra acordar as 5h e ir lá pro anhembi no busão lotado. O busão princesa isabel/chácara santana, não tem horário mano, o baguio é lotado das 6h da matina até as 23h30. E eu ando nele todo dia, calado... é por isso que depois do trabalho, a gente vai no bar...
Peu

Nenhum comentário:

RECOMENDAR