arte na periferia: Gravação do Poeta Sergio Vaz

18 de agosto de 2006

Gravação do Poeta Sergio Vaz

-

-

-

-

-

-

-

Na quinta-feira, mal acordo e o pessoal do Panorama - arte na periferia Peu, Anabela e Rogério Pixote já estão na porta de casa para a gravação de um documentário que eles estão fazendo sobre a cena cultural da periferia que não pára de crescer. Passamos um dia inteiro, café e almoço, trocando idéias e filosofando sobre a perifa, o nosso país, o nosso Brasil. Rapaziada nova da periferia fazendo cinema, será que o Datena sabe disso? Acho que não. Aliás, são poucos os que sabem, por outro lado, esses poucos que sabem são os que nos interessam, pra nós já tá bom demais. Amigos, apesar de tudo, nos sobraram alguns.

Sob a mira da câmera:

-Afinal o que está acontecendo na periferia? Pergunta-me Peu, na abertura da gravação do seu documentário.

- Tudo. Respondo. Já com os pêlos dos braços eretos.

- Como assim, tudo? Diz Anabela.

- Tudo. A nossa primavera de Praga, a nossa semana (interminável) de arte moderna, a nossa bossa nova, o nosso cinema novo, a nossa tropicália, o nosso teatro do oprimido, o nosso clube da esquina, a nossa literatura, o nosso pasquim, a nossa música de protesto (o rap), só que tudo de uma vez, tudo num só lugar, longe dos olhos das pessoas sem entimentos, na nossa periferia, na nossa capital do nosso país. Uma lágrima ameaça, é meu coração que está tendo um orgasmo, ele, ejacula pelos olhos. Foi bom pra você?

Muito amor,

Sérgio Vaz

Poeta da periferia

Nenhum comentário:

RECOMENDAR